terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Hormônio tireoideano: Fisiologia


Efeitos do Hormônio tireoidiano sobre mecanismos corporais específicos

            É isso aí, galera. Um pouquinho de fisiologia pra vocês, afinal, ela nos acompanhará para o resto dos nossos dias.    

·         Estímulo do metabolismo de carboidratos:  Os hormônios da tireoide são capazes de estimular diversos processos do metabolismo de carboidratos, dentre eles: a captação rápida de glicose pelas células; o aumento da glicólise (aumento das mitocôndrias, por exemplo); aumento da taxa de absorção do trato gastrointestinal; aumento da secreção de insulina, seguida pelos seus efeitos secundários sobre o metabolismo. Inclusive, verifica-se o aumento da gliconeogênese. Tudo isto, obviamente, converge para um aumento geral nas enzimas que participarão do metabolismo de carboidratos.

·         Redução do peso corporal: Aumentando o hormônio da tireoide, quase sempre teremos uma redução de peso, pois o metabolismo é otimizado. Contudo, há de se ter muito cuidado porque o hormônio tireoideano também aumenta o apetite, o que pode compensar a mudança na taxa metabólica.



·          Efeitos sobre os lipídeos plasmáticos e hepáticos: Observa-se que se aumentarmos a quantidade de hormônio tireoideano reduziremos as concentrações de colesterol, fosfolipídeos e triglicerídeos no plasma, embora aumentemos a concentração de ácidos graxos livres. Caso contrário, um aumento do colesterol, fosfolipídeos e triglicerídeos é causado por uma redução da secreção de hormônio tireoideano. Nos casos de hipotireoidismo, o aumento do colesterol plasmático pode acarretar aterosclerose grave.
Cabe destacar o mecanismo pelo qual o colesterol é eliminado através do aumento do hormônio tireoideano: secreção de colesterol na bile, e conseqüente eliminação nas fezes.
Exatamente isto! Segundo o grupo que apresentou sobre colesterol, gastamos 18 ATP’s para produzir UMA molécula de colesterol. E o que o hormônio tireoideano faz com esses 18 ATP’s? Direto pra descarga. Quanta maldade.
Cogita-se que esta secreção elevada de colesterol na bile seja causada pela indução(pelo hormônio tireoideano) de um maior número de receptores de lipoproteínas de baixa densidade nas células hepáticas, diminuindo as lipoproteínas do plasma, e assim, a secreção de colesterol nestas lipoproteínas pelas células hepáticas.
·         Maior necessidade por vitaminas: Este efeito é de fácil verificação pois, como o hormônio tireoideano aumenta o número de enzimas no organismo, é evidente que as vitaminas serão mais requisitadas, uma vez que elas são parte essencial de algumas enzimas e coenzimas.

Hormônios tireoideanos e o sistema cardiovascular

·         Aumento do fluxo sanguíneo e débito cardíaco: Como o metabolismo está aumentado, usamos uma quantidade maior de oxigênio e temos uma elevação de produtos metabólicos. Estes efeitos provocam a vasodilatação na maioria dos tecidos, aumentando o fluxo sanguíneo. Observa-se uma elevação do fluxo sanguíneo ainda maior na pele, pois há uma necessidade aumentada da dissipação de calor pelo organismo. Se elevarmos o fluxo sanguíneo, obviamente elevaremos o débito cardíaco (que é, por definição, o volume de sangue bombeado pelo coração no período de um minuto). Algumas vezes este débito pode chegar a um aumento 60% (situação de hipertireoidismo) ou redução de até 50% do normal no hipotireoidismo grave.            



·        Aumento da freqüência cardíaca: Somente pelo aumento do débito cardíaco, poderíamos esperar o aumento da freqüência cardíaca. Contudo, este aumento é muito além do que o esperado. Portanto, o hormônio da tireoide parece ter um efeito direto sobre a freqüência cardíaca. Cabe observar inclusive que este acréscimo da freqüência é um dos sinais observados pelo médico para determinar o excesso ou diminuição do hormônio tireoideano.
                                                
·         Aumento da força cardíaca:  À primeira vista, uma pequena elevação da secreção de hormônio tireoideano é capaz de aumentar a força de contração cardíaca. Só que tem uma coisa importante aqui: Quando a secreção de hormônio tireoideano é muito elevada, a força do músculo cardíaco se torna deprimida devido ao catabolismo protéico exaustivo por longos períodos. Há relatos de morte por descompensação cardíaca à insufuciência miocárdica e ao aumento do trabalho cardíaco imposto pelo maior débito.

Referência bibliográfica: 

 GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro, Elsevier Ed., 2006. 

 Postado por: Pedro Luiz Monteiro Belmonte 

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Excelente resumo, muito bom mesmo!! Ajudou bastante...;***

    ResponderExcluir
  3. De onde é a referencia da parte de excreção do colesterol pela bile???

    ResponderExcluir